Vamos adotar uma cartinha? Correios inicia campanha de Natal para crianças carentes

Saiba como escolher uma carta e como fazer uma criança feliz nesta reportagem

Vamos adotar uma cartinha? Correios inicia campanha de Natal para crianças carentes

Começou na última sexta (12), no Estado do Rio de Janeiro, o Papai Noel dos Correios. Para marcar o início de uma das campanhas de solidariedade mais admiradas do Brasil, o Papai Noel chegou de moto ao prédio dos Correios e, em seguida, foi até a Creche Municipal Estácio de Sá para recolher pessoalmente as cartinhas das crianças, simbolizando todas as milhares de crianças que também já fizeram o pedido ao Papai Noel e estão aguardando um padrinho.

No Rio de Janeiro, o período de adoção das cartinhas é de 12/11 a 17/12. Quem adotar uma carta deverá entregar o presente na agência até 17/12. Na Grande Tijuca, a agência na Rua Heitor Beltrão é a única a ter retirada de cartas e entrega de presentes na região.

Neste ano, a campanha tem formato híbrido, ou seja, físico e online, com cartinhas disponíveis para adoção no Blog do Papai Noel dos Correios e também em 21 agências dos Correios no estado do Rio de Janeiro. Já o envio de cartinhas com os pedidos das crianças da sociedade será 100% online e digital no Estado, por meio do Blog do Papai Noel dos Correios.

Milhares de cartinhas emocionantes escritas por alunos matriculados em escolas públicas (até o 5º ano do ensino fundamental), por crianças acolhidas em creches, abrigos e núcleos socioeducativos, e por crianças em situação de vulnerabilidade social, com até 10 anos de idade, estão disponíveis para adoção. Os pedidos dos pequeninos são dos mais variados: bolas, bonecas, calçados e até materiais escolares. A estatal coloca toda a sua expertise em logística e a força de seus empregados para atender às expectativas desses meninos e meninas.

"Ano passado, a campanha teve que ser inteiramente digital em razão da pandemia que impactou profundamente a vida de todos. Entretanto, com a vida retornando aos poucos à normalidade e primando pelos cuidados ainda necessários para preservar a saúde das pessoas, é com muita alegria que anunciamos que a campanha terá formato híbrido. Este ato carrega um simbolismo muito grande, já que encontramo-nos em um momento que retornamos, aos poucos, a encontrar com os nossos familiares e amigos de forma presencial", disse o presidente dos Correios, Floriano Peixoto.

Em todo o país, mais de 65 mil cartas já foram recebidas até o momento. No Rio de Janeiro, já temos mais de 8 mil cartas cadastradas esperando serem adotadas. Após o trabalho de seleção, as cartinhas são disponibilizadas na internet e nos pontos de adoção. Ou seja, padrinhos e madrinhas têm muitas chances para tirar vários sonhos das nossas crianças do papel.

Como enviar uma carta – As cartinhas devem ser manuscritas e, depois, fotografadas ou digitalizadas para envio ao blog. É importante enviar uma imagem nítida e cores em destaque para que a mensagem possa ser lida e compreendida pelo Papai Noel (evitar escrita a lápis). Serão disponibilizadas para adoção no blog da campanha as cartas que atenderem a todos os critérios estabelecidos pela ação, abaixo listados:

- As cartas devem ser destinadas ao Papai Noel;

- No momento do cadastro, é necessário o nome completo da criança (nome e sobrenome);

- Não é sorteio. Portanto, cada criança só deve cadastrar e enviar 1 única cartinha. Duplicidades serão descartadas.

- Deve ter indicação da idade da criança. Serão aceitas cartinhas de crianças de 0 a 10 anos. Pessoas com necessidades especiais não possuem limite de idade;

- O cadastro precisa ter indicação do remetente, contendo nome completo, e endereço completo (nome da rua, número da casa/prédio, bairro e CEP);

- Há possibilidade de indicação de endereço alternativo (residência de algum parente ou amigo), caso essa opção facilite a entrega pelos Correios;

- Para as crianças que ainda não sabem escrever, um responsável pode escrever e indicar os dados da criança;

- Não é permitido anexar fotos das crianças nem celular de familiares, por medida de segurança e proteção das crianças.

- O endereço da criança deve vir apenas no cadastro, mas não deve ser reproduzido dentro da imagem da cartinha, junto com o desenho e pedido da criança.

- As cartas devem solicitar, preferencialmente, brinquedos, roupas, calçados e material escolar. Lembrar de indicar tamanho da roupa e do calçado.

Como adotar – Para adotar, é simples e fácil. Basta se dirigir a uma unidade participante da ação ou acessar o blog da campanha. Na página, é preciso clicar em "Adoção On-line" e seguir os passos. Será necessário escolher a localidade para visualizar as cartinhas disponíveis em cada cidade ou município.

Para quem prefere escolher presencialmente, haverá cartinhas para adoção em 21 agências do Rio de Janeiro (capital e interior): Botafogo; Barra da Tijuca; Barra Shopping; Castelo; Central do Rio de Janeiro; Copacabana; General Osório; Largo do Machado; Niterói; Presidente Vargas; Tijuca; Campo Grande; Ilha do Governador; Méier; Cabo Frio; Campos dos Goitacazes; Duque de Caxias; Nova Iguaçu; Nova Friburgo; Petrópolis; Valença.

Entrega dos presentes - A entrega dos presentes será feita presencialmente, sempre com atenção especial aos protocolos de segurança, como o uso de máscaras, e evitando aglomerações. É possível consultar os pontos de entrega - unidades dos Correios - no Blog da campanha. Quem adotar presencialmente em uma das 21 agências do Rio, deve entregar o presente na mesma agência onde adotou.

As datas, locais e horários de lançamento da campanha podem variar em cada Estado. Todas as informações sobre disponíveis no endereço https://blognoel.correios.com.br/

Mais de 30 anos de história - A campanha nasceu pela iniciativa de alguns empregados da estatal que, durante a rotina de trabalho, recebiam cartinhas escritas por crianças destinadas ao Papai Noel, mas sem endereço. Sensibilizados, alguns deles resolveram adotar as cartinhas e enviar os primeiros presentes. Com o passar do tempo, a ação foi ganhando proporção na empresa e acabou se transformando em um projeto corporativo dos Correios.

A iniciativa visa incentivar a escrita por meio das cartinhas – propagando, entre as crianças, valores como solidariedade e esperança-, e, sempre que possível, atender aos pedidos de presentes daquelas que se encontram em situação de vulnerabilidade social.