Deputados 'vetam' seu próprio projeto de mudar o nome do Maracanã para Rei Pelé

Após repercussão negativa, parlamentares decidiram 'focar' na pandemia

Deputados 'vetam' seu próprio projeto de mudar o nome do Maracanã para Rei Pelé

A "mirabolante ideia" de mudar o nome do estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, em estádio Rei Pelé, proposto pelo presidente da Alerta, o deputado André Ceciliano (PT), em conjunto com os deputados Bebeto (Pode), Marcio Pacheco (PSC), Eurico Junior (PV), Carlos Minc (PSB), Coronel Salema (PSD) e Alexandre Knoploch (PSL), e aprovado dia 09 de março para sanção do governador em exercício Claudio Castro foi colocado de lado pelos próprios deputados na manhã desta terça (06)

Na ocasião, Ceciliano alegou que as placas contendo o nome do estádio deveriam fazer menção ao milésimo gol do Pelé. "A utilização de nomes de pessoas vivas nos bens pertencentes ao patrimônio público tem sido uma preocupação da sociedade para zelar pelo que é de todos e impedir a privatização do patrimônio público. Mas, nesse caso, essa é uma justa homenagem a uma pessoa reconhecida mundialmente pelo seu legado no futebol brasileiro e pela prestação de relevantes serviços ao nosso país".

Mas, mediante a repercussão negativa da sociedade civil, onde era quase unânime que os deputados tinham uma pandemia de Covid-19 a enfrentar do que trocar o nome do maior estádio do Rio de Janeiro, os deputados decidiram "vetar" essa ideia.

"A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) irá encaminhar recomendação ao governador em exercício Cláudio Castro no sentido de vetar o projeto de lei que propõe a mudança de nome do estádio do Maracanã. A decisão foi tomada nesta terça-feira (06/04) em reunião virtual do Colégio de Líderes da Casa. Os deputados, em consenso, concluíram que neste momento a Assembleia deve continuar centrando o trabalho no combate à covid-19, como vem fazendo desde o início da pandemia", diz a nota da Alerj.

Diante da reverberação negativa, no dia 19 de março, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) já havia recomendado que o governador vetasse o projeto, com base no Decreto Municipal de 2012, segundo o qual o Maracanã está integrado à identidade cultural carioca.