Moradores reclamam de lixo acumulado por pessoas em situação de rua

Bairros do Rio Comprido e Estácio sofrem com acumuladores compulsivos

Foto: Morador

Foto: Morador

Moradores dos bairros do Estácio e do Rio Comprido estão preocupados com o acúmulo de lixo em pontos de algumas ruas, praticado por pessoas em situação de rua. Segundo um dos moradores do Rio Comprido, um catador de lixo muito conhecido no bairro, pelo apelido de "Barba", vem guardando uma grande quantidade de lixo na calçada da Praça Condessa Paulo de Frontin, entre os números 45 e 51, e isso vem prejudicando comerciantes que estão perdendo clientes e moradores que reclamam do mau cheiro do lixo, da proliferação de ratos e da passagem de pedestres que fica impedida com o lixo.

"Não aguentamos mais esse acúmulo de lixo que toma a frente das Lojas Americanas e da Escola Municipal Pereira Passos. O Barba recolhe esse lixo de todos os lugares e deixa tudo aqui acumulado na calçada. A Assistente Social já até conversou com ele, mas não adianta. Ele não entende e o problema continua", disse a moradora Rita Machado.

Já na rua Sampaio Ferraz no Estácio, um catador de lixo vem recolhendo eletrodomésticos, entre outras coisas, com um carrinho de mão e guardando em frente ao número 71. Os moradores do prédio reclamam que o material acumulado vem atraindo roedores e atrapalhando a passagem de pedestres.

Foto: Morador

"Esse catador começou a colocar esse material aqui desde o ano passado. Já conversamos com ele, mas ele nos ameaça. Não sabemos mais o que fazer", disse um morador.

De acordo com a psicóloga Claudia Faria, "acumuladores compulsivos são pessoas que têm uma grande dificuldade em se descartar ou deixar seus pertences, mesmo que já não tenham qualquer utilidade. Os acumuladores compulsivos também se tornam mais isolados, especialmente em casos mais severos, pois têm vergonha da sua própria situação. Por este motivo, estas pessoas têm maiores chances de desenvolver outras doenças psiquiátricas, como a depressão, por exemplo."

O portal Grande Tijuca entrou em contato com a Secretaria Municipal de Assistência Social, para saber quais ações estão sendo tomadas para o acolhimento e tratamento de pessoas em situação de rua que são acumuladores de lixo, e com a COMLURB e a Subprefeitura do Centro, sobre a limpeza desses dois locais.

A Secretaria Municipal de Assistência Social informou em nota "que enviará uma equipe ao local, no Rio Comprido. O objetivo é a Secretaria tomar conhecimento do fato e encaminhar para as devidas soluções".

A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (COMLURB) disse em nota "que nos casos envolvendo pessoas em situação de rua, a companhia só atua em ações integradas com outros órgãos. A Companhia tem participado de diversas operações de acolhimento junto com a Secretaria Municipal de Assistência Social".

Já a Subprefeitura do Centro, através de contato telefônico, informou que estará agendando uma operação no Rio Comprido para acolher pessoas em situação de rua, em conjunto com a COMLURB e a Secretaria Municipal de Assistência Social, e que colocou, no cronograma, a rua Sampaio Ferraz no Estácio.