Morre o cantor Agnaldo Timóteo, vítima de Covid-19, aos 84 anos

Ele estava internado e intubado desde o dia 17 de março

Foto: Divulgação/SESC Piracibaba

Foto: Divulgação/SESC Piracibaba

Morreu neste s√°bado (3), o cantor Agnaldo Timóteo, v√≠tima da covid-19, aos 84 anos. Ele estava hospitalizado desde o dia 17 de mar√ßo, no Rio de Janeiro. A not√≠cia foi confirmada em nota publicada pela fam√≠lia do artista.

"É com imenso pesar que comunicamos o falecimento do nosso querido e amado Agnaldo Timóteo. Agnaldo Timóteo n√£o resistiu às complica√ß√Ķes decorrentes da covid-19 e faleceu hoje às 10h45. Temos a convic√ß√£o que Timóteo deu o seu melhor para vencer essa batalha e a venceu. Agnaldo Timóteo viver√° eternamente em nossos cora√ß√Ķes", disse a fam√≠lia.

Mineiro de Caratinga, ele foi ainda jovem para o Rio em busca de oportunidades, onde foi ajudado pela cantora Angela Maria, tendo gravado o seu primeiro disco em 1961, aos 25 anos de idade.

Dono de uma voz potente, sua carreira foi se fortalecendo, até estourar nas paradas em 1967, com o disco Obrigado Querida, com a can√ß√£o Meu Grito, de Roberto Carlos, ficando em primeiro lugar nas principais r√°dios do pa√≠s. O disco veio ainda com dois grandes sucessos da sua carreira: Mam√£e Estou T√£o Feliz" (Mamma) e Os Verdes Campos da Minha Terra. Segundo o próprio Agnaldo, Meu Grito consolidou a sua carreira.

Sua popularidade era baseada em um repertório rom√Ęntico e na pot√™ncia vocal. Tinha p√ļblico cativo em todo o pa√≠s, fazendo shows que lotavam os auditórios com seus f√£s.

Gravou 64 discos em sua carreira. Em janeiro deste ano, comandou uma apresenta√ß√£o beneficente pela internet aos pés do Cristo Redentor, uma de suas √ļltimas apari√ß√Ķes p√ļblicas. Era torcedor fan√°tico do Botafogo, clube que divulgou nota lamentando sua morte.

Política

O cantor também trilhou o caminho pol√≠tico. Em 1982, foi eleito deputado federal pelo PDT no Rio de Janeiro, com mais de 500 mil votos. Depois, ingressou no extinto PDS, cumprindo o restante de seu mandato. Ele se candidatou ao governo do Rio, em 1990, sendo derrotado. Em 1993 transferiu-se para o extinto PPR. Voltou à C√Ęmara Federal em 1995. Em 1997, concorreu a uma cadeira na C√Ęmara Municipal do Rio de Janeiro, pelo extinto PPB, alcan√ßando a maior vota√ß√£o do partido.

Tentou a reelei√ß√£o no pleito municipal de 2000, mas n√£o obteve √™xito. Transferiu-se para S√£o Paulo e retomou a carreira pol√≠tica ao candidatar-se a vereador em 2004, pelo PP. Foi reeleito em 2008 para novo mandato como vereador paulistano, cargo do qual licenciou-se em 2010 para concorrer a uma vaga na C√Ęmara dos Deputados. Porém, obteve apenas uma supl√™ncia. Foi candidato à reelei√ß√£o em 2012, mas n√£o obteve vota√ß√£o suficiente. Deixou a atividade pol√≠tica para voltar a se dedicar à m√ļsica.