Após descumprimento de regras, Parque Nacional da Tijuca vai reforçar fiscalização

A medida será tomada porque parte dos visitantes não está cumprindo as normas do plano de reabertura

Imagem: Balbino Mirelly

Imagem: Balbino Mirelly

Nos próximos dias, o Parque Nacional da Tijuca deve reforçar a fiscalização dos visitantes após a constatação do descumprimento das regras previstas na reabertura do área de preservação ambiental. Na última quinta-feira (23), as medidas foram anunciadas pela administração, por meio das redes sociais. Isso porque, um monitoramento realizado pela gestão verificou que parte dos visitantes não está cumprindo as normas do plano de reabertura.

Segundo o Parque, desde o último dia 9 de julho, ações de educação e de conscientização ambiental estão sendo adotadas para disseminar o que pode e o que não pode na retomada das atividades e da reabertura dos espaços no Parque.

Ainda segundo o PNT, o trabalho de informação foi feito com amplo destaque nos canais oficiais de comunicação e com o apoio dos funcionários, além da sinalização local. Contudo, um monitoramento dos visitantes verificou que alguns indivíduos estão descumprindo as regras atuais de visitação.

Desse modo, ações de conscientização e fiscalização serão reforçadas. Se necessário, a aplicação de multas com base nos instrumentos legais existentes de proteção das Unidades de Conservação também deverão ser adotadas.

O Parque ainda destacou que as multas podem variar entre R$ 500,00 e R$ 10 mil para as pessoas que desrespeitarem o regulamento. São passíveis de multas as reuniões com mais de 10 pessoas, o acesso sos mirantes fechados, o banho de cachoeira e a circulação de veículo motorizado na área da unidade de conservação. Além disso, o Parque poderá apreender equipamentos e materiais que estejam com os infratores.

Para pessoas que fazem exercícios de alta intensidade, o uso de máscara também é exigido e a recomendação é que seja reduzida a intensidade do exercício e o fôlego seja recuperado ainda de máscara, sem retirá-la, pois o flagrante do não uso pode resultar em penalização.

O Parque ainda informou que as fotos publicadas em redes sociais do próprio usuário, onde ele assume publicamente o comportamento em desacordo com as regras do Parque, ou as imagens denunciadas para o e-mail [email protected] poderão ser utilizadas como provas no processo de autuação e de multa.

Para o esclarecimento das dúvidas sobre o que está permitido e o que não está permitido, o interessado pode acessar o link: bit.ly/notasite080720.