Centro Cultural Cesgranrio lança livro em comemoração aos seus 10 anos no Rio Comprido

Evento contou com a participação de artistas e de profissionais renomados do teatro brasileiro

Foto: Claudio Pompeu/Fundação Cesgranrio

Foto: Claudio Pompeu/Fundação Cesgranrio

O Centro Cultural Cesgranrio lançou, na tarde desta segunda (22), no teatro Cesgranrio, no Rio Comprido, um livro reunindo os 10 anos de trabalho da instituição. A cerimônia de lançamento contou com a presença do presidente da instituição, Carlos Alberto Serpa, da atriz e conselheira da instituição, Jacqueline Laurence, o ator, Jaime Leibovitch, a conselheira e ex-secretária estadual de Cultura, Eva Doris Rosental, o ator Sasha Rodrigues, entre outros convidados representantes da área da Cultura. O presidente da instituição, o professor Carlos Serpa, relatou ao portal Grande Tijuca a importância da Fundação Cesgranrio nesses 10 anos de incentivo e trabalho na cultura, que é um dos grandes alicerces da educação no país.

"Uma das pesquisas mais importantes que a Fundação Cesgranrio realizou, ainda na década de 70, comprovou que a ambiência cultural é fundamental, não apenas para o bom desempenho acadêmico, como também para a vida profissional do indivíduo. Em 1993, criamos o Instituto Cultural Cesgranrio para gerar cultura nos espaços da Educação, assessorar empresas ou órgãos públicos no desenvolvimento de projetos culturais e fomentar o desenvolvimento artístico em todos os níveis da sociedade. Com o passar dos anos, o Instituto Cultural Cesgranrio cresceu aceleradamente, impossibilitando o acompanhamento de todas as atividades e a avaliação regular de cada uma delas. Por esse motivo, a Fundação Cesgranrio decidiu focar os projetos culturais no Estado do Rio de Janeiro e, em 2011, criou o Centro Cultural Cesgranrio, que logo se destacou pelo incentivo à arte através de premiações, projetos inovadores e oficinas. O Prêmio Cesgranrio de Teatro, já consagrado, foi lançado em 2014 e é o maior do Brasil. Há ainda o Prêmio Cesgranrio de Dança, o Prêmio Rio de Literatura e o Prêmio Novos Talentos da Pintura. A produção audiovisual inclui séries, como Brasil Imperial, e longa metragens. Uma importante iniciativa, o projeto "Teatro nas Escolas", leva encenações para colégios do Rio de Janeiro com temas como o bullying, que são discutidos com alunos após as apresentações. Através do "Música clássica nas escolas", projeto inédito no Brasil, distribui livros sobre música clássica, acompanhados de um CD com obras gravadas pela Orquestra Sinfônica Cesgranrio. Aliás, é outro projeto importante do Centro Cultural Cesgranrio, pois a "orquestra escola" proporciona aos estudantes de música a vivência em ambiente profissional, com ensaios e apresentações regulares, promovendo o aperfeiçoamento de cada um. São oferecidas também oficinas gratuitas para auxiliar na formação de novos artistas. Todo ano, a sede da Fundação Cesgranrio recebe o Festival Cultural, com uma programação diversificada para o público em geral. O Centro Cultural Cesgranrio dispõe de espaços, como o Teatro Cesgranrio, com capacidade para 300 pessoas, o Teatro Beth Serpa, com 80 lugares, e um espaço cultural para exposições e eventos temáticos. É através de tantos projetos que a Fundação Cesgranrio reafirma o compromisso com um dos aspectos mais marcantes e transformadores de uma sociedade: a Cultura", disse o presidente da Cesgranrio, Carlos Serpa.

Foto: Claudio Pompeu/Fundação Cesgranrio

Um dos autores do livro "Cultural 10 anos – projetos, reflexões, depoimentos e transformações sociais através das artes", Leandro Bellini, secretário de Cultura da instituição, relatou a importância da obra e relembra os diversos trabalhos do Centro Cultural.

"Para nós foi um trabalho de resgate e construção da nossa memória. Portanto, nós mergulhamos na nossa própria história, importante para a gente, enquanto instituição. Porque tivemos a noção de tudo o que fizemos nesses 10 anos e também para registro da Fundação Cesgranrio. São 10 anos produzindo cultura e atrelando cultura a educação. Então, é muita história que se tem. Resgatar 10 anos de história pode ser automático para quem está no dia a dia, mas, na verdade, não é. Então, mergulhamos profundamente em tudo que desenvolvemos e foi uma redescoberta. Nós organizamos o livro por áreas artísticas, conforme trabalhamos no Centro Cultural. Nós temos projetos de teatro, música, literatura, artes plásticas e cinema. Então, é um livro que apresenta essa pluralidade do Centro Cultural e do nosso dia a dia", disse Leandro Belini.

Teatro Cesgranrio completa cinco anos levando arte para moradores e estudantes do bairro

O teatro Cesgranrio completou cinco anos de funcionamento na sede da Fundação Cesgranrio, na rua Santa Alexandrina, no Rio Comprido. O espaço cultural tem capacidade para 266 pessoas, possui 840 metros quadrados e os equipamentos de sonorização e iluminação mais modernos. O palco já recebeu atrizes de renome como Fernanda Montenegro e oferece, a baixos custos, a oportunidade para o desenvolvimento de novas produções teatrais na cidade do Rio. Os moradores do Rio Comprido pagam apenas R$15,00 e estudantes, meia-entrada, para assistirem aos espetáculos teatrais e musicais e no local.

O administrador do teatro, Marcus Brandão, relatou a importância do espaço nesses 10 anos do Centro Cultural Cesgranrio.

"Construir um teatro é muito difícil, ainda mais nos tempos de hoje, nesse desmonte da cultura. Porque construir um teatro é um ato de resistência. Reforça essa ideia que o poder da cultura transforma nossa sociedade. Um teatro no Rio Comprido, próximo à Tijuca, levando cultura, educação, arte e entretenimento para as pessoas que, às vezes, não têm um teatro perto das suas casas, é um fator primordial. Então, acreditamos nesse viés e construímos esse teatro, trazendo essa ideia pra cá. Grandes espetáculos que já passaram por aqui, posso dizer com muita alegria que já passou por aqui Fernanda Montenegro, com "Nelson por ele mesmo", a cantora Maria Gadú , Baby do Brasil, "Mundo Bita" com duas sessões porque as crianças enlouqueceram quando viram. Já recebemos a peça "Tom na Fazenda", com Armando Babaioff, que foi superpremiado, "A Vida passou por aqui" com Claudia Mauro e Édio Nunes, que são artistas sensacionais. Assim, são muitos projetos que já passaram, cinco anos de história e muitos espectadores que já conhecem o nosso espaço. Nós queremos trazer cada vez mais para perto da gente o público da Tijuca, do Rio Comprido e pessoas que amam a Zona Norte e acham que, com a cultura, o entretenimento e a educação, a gente pode transformar", disse Marcus Brandão.