Passageiros das linhas 432, 433 e 439 denunciam falta de ônibus após às 22h

Transportes Vila Isabel estaria mandando todos os carros para a garagem

Foto: Leonardo Pimenta

Foto: Leonardo Pimenta

Passageiros que moram e trabalham em Vila Isabel estão sofrendo com a falta de carros das linhas 432, 433 e 439 do consórcio Intersul, após às 22h. Segundo moradores, a empresa Transportes Vila Isabel vem encerrando a circulação dos ônibus às 22h e funcionários de estabelecimentos próximos e moradores estão sendo obrigados a pegar veículos de aplicativo ou fazer baldeação com ônibus de outras para chegar à zona sul.

"Trabalho no Boulevard Shopping de 14h às 23h e, quando saio, fico sem ter como voltar pra casa. Eu e vários colegas só temos duas opções: pegar Uber ou esperar algum ônibus que nos deixe em Copacabana. Já basta que não temos o 464 passando mais aqui", disse o vendedor Marcelo Silva.

A empresa Transportes Vila Isabel entrou no dia 12 de julho e o Consórcio Intersul, neste mês com pedidos de recuperação judicial no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro alegando queda do número de usuários desde 2015 e perda de 50% da receita com a pandemia do Covid-19. Vários funcionários da empresa reclamam de atrasos nos salários e benefícios.

Nossa redação vem noticiando os problemas enfrentados pelos usuários das linhas 432, 433 e 439, passageiros que relatam que os ônibus estão em péssimas condições, com bancos quebrados, sujos, sem campainha e com aparelhos de ar-condicionado sem funcionar.

O portal Grande Tijuca entrou em contato com a Rio Ônibus e com a Secretaria Municipal de Transportes para que se pronunciassem sobre a suspensão do serviço às 22h e os problemas dos carros da frota.

O Rio Ônibus, até o fechamento dessa matéria, não se pronunciou sobre o caso.

Já a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) disse em nota "que vai enviar uma equipe de fiscalização para uma vistoria nas linhas citadas. Quando verificada má conservação, o consórcio é autuado e o veículo, dependendo do estado, pode ser lacrado.

Ações de fiscalização fazem parte da rotina diária da SMTR. Só no último ano, o consórcio foi autuado 26 vezes por irregularidades na prestação do serviço nas linhas 432 e 433.

É importante reforçar que qualquer pessoa pode denunciar a má prestação do serviço para a Prefeitura por meio da Central de Atendimento 1746. Este registro é importante para que as denúncias sejam tratadas de forma administrativa, possibilitando soluções mais ágeis e inclusão nas estatísticas da Prefeitura para fins de planejamento".