Comandante do 6°BPM fala sobre os desafios contra o crime

Prestes a completar um mês no comando, ele cita os bairros que precisam diminuir índices

Foto: Divulgação 6°BPM

Foto: Divulgação 6°BPM

Prestes a completar um mês de gestão no 6°BPM, que corresponde aos bairros da Grande Tijuca, o coronel Luciano de Vasconcelos, em entrevista exclusiva ao nosso portal, fala dos desafios ao assumir o comando, as metas do batalhão,

Grande Tijuca - Quando o senhor assumiu o 6°BPM, quais foram os maiores desafios encontrados na região? O que o senhor já implementou?

Os maiores desafios encontrados foram:

1 - Adequar o planejamento operacional com a logística da unidade (previsão de RAS e do policiamento ordinário se adequando à viabilidade de viaturas e policiais previstos). Já realizamos uma integração entre as 1ª, 3ª e 4ª Seções para troca de informações mútuas a fim de promover maior eficiência das ordens operacionais

2 - Diminuição no roubo de veículos na AISP 6; com reestruturação e atualização das ordens de AREPIII e baseamentos na AISP 6 com base na mancha criminal;

3 - Divisão do policiamento atendendo a vasta área da AISP 6 que envolve 8 (oito) bairros – Rio Comprido, Praça da Bandeira, Maracanã, Tijuca, Andaraí, Vila Isabel, Grajaú e Alto da Boa Vista;

4 - Integração do Comando do 6ºBPM com os comandantes das UPPs e Projetos Presentes. Na próxima segunda-feira, 4, reunião com todos responsáveis que atuam na área de AISP6 para troca de informações e planejamentos.

GT - Quais índices o batalhão conseguiu diminuir e quais ainda são um problema?

Entre os meses de JAN2020 a ABR2020 tivemos redução nos índices de Roubo de Rua em cerca de 153 casos a menos que a meta do 1º TRIMESTRE de 2020. Os índices de Roubo de Veículo foram reduzidos em cerca de 3 casos a menos que a meta do 1º TRIMESTRE de 2020. Os índices de Roubo de Carga foram reduzidos em cerca de 14 casos a menos que a meta estabelecida ao 1º TRIMESTRE de 2020.

Apenas o índice de Letalidade Violenta na AISP 6 que está sendo um problema, tendo em vista que tivemos 7 casos a mais que a meta estabelecida para o 1º TRIMESTRE de 2020.

GT - Como o 6°BPM tem atuado nessa luta contra o Covid-19? Que ações conjuntas tem realizado com o Tijuca Presente?

O Comando da unidade promove diariamente instruções e preleções informando as ações que deverão ser tomadas pelos policiais na prevenção da doença (informando publicações em legislação interna e nas mídias sociais de informações a respeito do combate ao COVID-19), formaliza protocolos de ação caso haja apresentação de algum sintoma por parte dos policiais, bem como evita aglomerações de policiais na unidade. No que se refere ao PROJETO PRESENTE, a unidade tem prestado o maior apoio possível quanto a logística do projeto, permitindo que o material e equipamento utilizado pelos policiais do projeto (rádios, viaturas, coletes balísticos) sejam utilizados única e exclusivamente pelos policiais do projeto, evitando que tais instrumentos sejam utilizados por muitos policiais, gerando assim o ampliamento na cadeia de transmissão do vírus.

GT- Tem policiais com Covid-19 na corporação? Quais cuidados o batalhão tem tomado contra essa pandemia?

Sim, atualmente temos um total de 28 (vinte e oito) policiais militares em isolamento em suas residências, dois deles confirmados para COVID-19. O comando da unidade determinou:

- O uso obrigatório da máscara de proteção;

- A utilização das viaturas deverão seguir os protocolos de uso previstos em BOL PM nº. 62 de 2020;

- A escala de serviço dos policiais que trabalham no administrativo da unidade foi reduzida;

- O imediato encaminhamento do policial à Unidade Médica da PMERJ ao apresentar sintomas do COVID-19.

GT - Tem algum bairro que os índices poderiam ser menores? Qual é o bairro que dá mais "dor de cabeça" com a criminalidade?

Os bairros:

Praça da Bandeira - apresenta um índice alto de Letalidade Violenta (latrocínio e homicídio doloso) – dos 16 casos 7 foram só nesse bairro;

Grajaú, Andaraí e Vila Isabel apresentam alto índice de Roubo de Veículo e Roubo de Rua – dos 242 casos totais de RV 100 aconteceram só neles e dos 761 casos totais 280 casos foram só nesses bairros;

Andaraí e Vila Isabel apresentam um índice alto de Roubo de Carga – dos 9 casos 5 foram só nesses dois bairros.

Os índices de Roubo de Rua e Roubo de Carros poderiam ser menores nos bairros do Grajaú e Andaraí. Isso, pois no ano passado os números da 1ª CIA (que abrange esses dois bairros) eram inferiores. Há informações de que uma quadrilha especializada em roubo de veículos se instalou na comunidade do Andaraí, o que, consequentemente, trouxe o aumento do nº de delitos.