Moradores da Praça da Bandeira criam associação buscando melhoria do bairro

Grupo se reuniu, depois de ver vários problemas na localidade

Moradores da Praça da Bandeira criam associação buscando melhoria do bairro

Um grupo de moradores e comerciantes da Praça da Bandeira, preocupados com o mau estado de conservação do bairro e buscando melhorias, criou a Associação dos Moradores e Amigos da Praça da Bandeira. A mobilização para o surgimento da associação começou em março de 2018, quando um dos moradores, preocupado com os problemas do bairro, passou a tirar fotos e a mobilizar os moradores e comerciantes em um estabelecimento local.

"Andando por algumas ruas da Praça da Bandeira, resolvi fotografar como estava tudo largado e abandonado: as ruas escuras, com as lâmpadas queimadas, árvores precisando de poda, falta de lixeiras, lixo e entulhos em cada esquina, calçadas cheias de buraco, fezes de cachorro, entre outras coisas. Então, resolvi postar tudo no Facebook, o que chamou a atenção do então Superintendente da Grande Tijuca na época, Hugo Leal, que entrou em contato para marcarmos uma reunião. Resolvi, então, criar um grupo de Whatsapp, e convidei alguns moradores de ruas próximas onde moro, num total de 5 ruas. Marcamos, então, nossa primeira reunião no dia 01 de abril, no restaurante do meu irmão, onde houve diversas outras reuniões", relata Bruno Paraíso, morador e diretor de eventos da associação.

Nessas reuniões, o grupo também observou vários problemas na segurança pública e, buscando a revitalização, resolveu, no início desse ano, fundar uma associação para lutar pela melhoria do bairro.

"A associação começou com a reunião de moradores de, aproximadamente, cinco ruas, aqui da sede, na travessa Dr. Araújo. No início, o pessoal disse que queria fazer, e eu era o único do grupo que morava do outro lado da Praça da Bandeira. Então, propus que fosse feita uma associação de moradores do bairro todo. Nós decidimos, então, como seria essa diretoria e tudo mais. Nós conseguimos, então, marcar uma reunião com o Subprefeito da Grande Tijuca, onde apresentamos as demandas e estabelecemos uma parceria. Nessa parceria, o pessoal passa as demandas do bairro, e encaminhamos para a Subprefeitura. Eles, na medida do possível, atendem a gente. No entanto, o nosso objetivo não é só a intermediação para resolver problemas, mas também atuar no lado social. Quanto à questão dos assaltos, conseguimos o programa Bairro Seguro com a ajuda do deputado Alexandre Knoploch, do antigo delegado da 18ª DP, Leandro Gontijo, e do comandante do 6ºBPM, Eduardo Costa. Agora, na questão social, nós queremos tentar ajudar, fechando, junto às empresas, parcerias para poder oferecer cursos para os menores e ver vagas de emprego para os moradores desempregados. A nossa intenção também é procurar a VIA e a Nova Tijuca, que são associações do bairro, montar uma parceria e ajudar na Grande Tijuca, como um todo", disse o presidente da Associação da Praça da Bandeira, Mauro Sérgio.

A proposta da associação também é revitalizar o espaço da Praça da Bandeira, como área de lazer para os moradores, e estimular o uso do espaço para eventos e feiras de artesanato e de gastronomia.

"Nós queremos fazer feiras de artesanato e feiras gastronômicas, já que temos um belo Polo Gastronômico, e utilizar a Praça da Bandeira e a Praça Chinesa. A Praça da Bandeira é muito mal utilizada hoje pelos moradores por questão de acesso. Nós necessitamos de um sinal da cabine da PM para a Praça da Bandeira e uma nova passarela com maior acessibilidade para idosos e portadores de deficiência. Foi feita uma obra grandiosa, que resolveu o problema da enchente, e a passarela foi apenas pintada de azul", complementa Mauro Sérgio.