Área bancária é ocupada por moradores em situação de rua no Maracanã

Correntistas afirmam que uso de drogas é um fator que preocupa quem vai na agência

Área bancária é ocupada por moradores em situação de rua no Maracanã

Correntistas do Banco do Brasil, situado na Rua Senador Furtado, no Maracanã, convivem diariamente com a "moradia" de pessoas em situação de rua no acesso à rampa de portadores de deficiência e cadeirantes da agência. Segundo estes correntistas, além de famílias ali instaladas pedindo dinheiro, há consumo de drogas em qualquer horário. O que deixa correntistas, funcionários, moradores e quem passe por ali, estarrecidos. E pedidos já foram feitos para a Prefeitura.

"Já pedimos ao 1746, ouvidorias, os canais da Prefeitura. É uma situação difícil, há muita sujeira, objetos usados para consumo de drogas espalhados pelo chão. Não conseguimos entrar na agência. A situação, por si só, gera insegurança.

"Até andando pelo entorno, há outros bancos, na Mariz e Barros, por exemplo, tem também. E tem dia que tem uma quantidade grande de moradores em situação de rua. A gente recebe pedidos de dinheiro, até se sensibiliza e tal, mas usam para consumo de drogas. É muito difícil ir no banco diante disso", lamentou outro correntista.

Procuramos a Prefeitura, através da Secretaria de Assistência Social. Em nota, informou que a equipe de abordagem social da secretaria verificará a situação.

Objeto usado para uso de crack no piso de subida do banco. Insegurança entre correntistas