Terreno de edifício em construção com água parada assusta moradores de Vila Isabel

No local, será construído um prédio residencial

Foto: Morador

Foto: Morador

Um terreno com água parada na rua Antônio Salema, número 63, vem causando dor de cabeça para moradores de Vila Isabel. Segundo um morador de um dos prédios vizinhos, a construtora responsável pela obra encheu o terreno de água há duas semanas e não esvaziou, estando propício à proliferação das larvas do mosquito da dengue.

"Há duas semanas com essa água no terreno. Ano passado, a construtora demoliu uma casa antiga e murou. Eles retornaram com a obra, colocaram retroescavadeira, tiraram terra e encheram de água o terreno. Essa água está assim há mais de uma semana, podre, fedida e mais escura. Sujeito a dar dengue. Questão de meio ambiente e saúde pública", disse o morador.

Foto: Morador

No terreno, será construído pela construtora um edifício de quatro andares com 12 apartamentos e várias benfeitorias.

O portal Grande Tijuca entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura do Rio e com a Art Lar Engenharia, para que se pronunciassem sobre a denúncia feita pelos moradores referente à água no terreno e ao risco de proliferação de doenças, devido ao mosquito.

A Secretaria Municipal de Saúde disse em nota que "a Superintendência de Vigilância em Saúde recebeu uma solicitação para vistoria relacionada a mosquito ou as condições favoráveis para sua presença por meio da Central 1746, canal oficial de solicitação de serviços da Prefeitura do Rio, aberta no dia 04/06/2021 (última sexta-feira). O prazo para atendimento é de cinco dias úteis, e a vistoria está programada para 08/06/2021".

Quanto à construtora Art Lar Engenharia, encarregada pela construção do edifício, não foi possível falar com nenhum dos seus responsáveis, através dos contatos informados no site da construtora, apesar das várias tentativas da nossa redação.