Morre o cantor e compositor Dominguinhos do Estácio

Ilustre morador do bairro estava internado em um hospital em Niterói

Foto: Divulgação/GRES Estácio de Sá

Foto: Divulgação/GRES Estácio de Sá

O cantor e compositor Dominguinhos do Est√°cio morreu, aos 79 anos, na madrugada dessa segunda (31), após ter uma hemorragia cerebral. O sambista estava internado desde o dia 11 de maio, no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, e passou por uma cirurgia que durou quatro horas. O compositor estava se restabelecendo, quando, na pen√ļltima quinta (20), teve uma piora no quadro e precisou ser intubado.

Dominguinhos do Est√°cio estava atualmente na GRES. Unidos do Viradouro e, no ano passado, tinha sofrido um infarto, após o desfile da escola no sambódromo do Rio. O intérprete ficou internado no Hospital Casa Prontocor, na Tijuca, e se recuperou.

O enterro de Dominguinhos ser√° às 16h no Cemitério do Catumbi.

Orgulho do bairro e do Samba

Domingos da Costa Ferreira, conhecido como "Domingos do Est√°cio", nasceu no dia 4 de agosto de 1941 e cresceu na comunidade do S√£o Carlos no bairro do Est√°cio, onde recebeu o apelido. O cantor iniciou a sua trajetória art√≠stica, na década de 1960, na antiga escola de samba Unidos de S√£o Carlos, atual a G.R.E.S. Est√°cio de S√°, e foi ritmista do bloco Bafo da On√ßa.

O intérprete também participou da G.R.E.S. Imperatriz Leopoldinense, onde foi campe√£o nos anos em 1981, com "Só d√° Lal√°" e ,em 1989, com "Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós".

No ano de 1990, passou pela Acadêmicos do Grande Rio, onde ajudou a escola de samba de Duque de Caxias a ser campeã do grupo de acesso e a ir para o grupo Especial.

Na G.R.E.S. Estácio de Sá, foi campeão do carnaval carioca de 1992, com o samba "Pauliceia desvairada", primeiro título da escola.

Após esse tempo, foi para a Unidos do Viradouro em 1996 e participou da conquista do t√≠tulo daquele ano - "Luz! Trevas! A explos√£o do universo", de autoria de Jo√£osinho Trinta.