Morre Nelson Sargento, presidente de honra da Mangueira

Sambista estava internado com Covid-19 desde sexta (21)

Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

O sambista Nelson Sargento, presidente de honra da Esta√ß√£o Primeira de Mangueira, morreu, nesta quinta (27), em decorr√™ncia da Covid-19. Nelson de 96 anos, teve c√Ęncer de próstata alguns anos antes e estava internado desde a √ļltima sexta (21), no Instituto Nacional do C√Ęncer (Inca) no Centro.

No INCA foi feito o exame detectou que o sambista estava com o novo coronav√≠rus e no fim de semana foi transferido em estado grave para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após a piora do padr√£o ventilatório, hipertens√£o, desidrata√ß√£o, anorexia e tendo que respirar com aux√≠lio de m√°scara de oxig√™nio.

O compositor mangueirense j√° havia tomado a segunda dose da CoronaVac em fevereiro e foi o um dos primeiros a se vacinar em janeiro.

Sambista de primeira

Nelson Mattos, conhecido como "Nelson Sargento" nasceu em 25 de julho de 1924, na Pra√ßa 15 e recebeu o apelido durante o per√≠odo que ficou no Exército. O Sambista era cantor e compôs v√°rias m√ļsicas como "Agoniza, mas n√£o morre", "Primavera", "As quatro esta√ß√Ķes", "Acabou meu sossego" dentre outros.

O artista compôs m√ļsicas também com Cartola, Carlos Cacha√ßa, Darcy da Mangueira, Jo√£o de Aquino, Pedro Amorim, Daniel Gonzaga e Rô Fonseca.

J√° cinema, Nelson Sargento participou como ator em filmes como "Orfeu", de Cac√° Diegues, e "Nélson Sargento da Mangueira" de Est√™v√£o Pantoja.