Hospital Pedro Ernesto volta a fazer cirurgias de transplante de córnea

Cirurgias oftalmológicas estavam suspensas há quatro anos por falta de licença

Foto: Divulgação/ Governo do Estado do Rio de Janeiro

Foto: Divulgação/ Governo do Estado do Rio de Janeiro

O Hospital Universitário Pedro Ernesto, vinculado à UERJ, retomou, desde dezembro do ano passado, as cirurgias de transplante de córnea na unidade de saúde em Vila Isabel. Segundo o HUPE, as cirurgias estavam suspensas há quatro anos por causa de problemas burocráticos envolvendo a renovação de uma licença. Com a solução da pendência, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação autorizou a retomada dos procedimentos cirúrgicos no hospital, que é um dos centros de referência credenciados pelo SUS.

"O Hupe está totalmente capacitado para absorver a demanda. É uma cirurgia de ponta. Ao retomarmos essa prática, certamente ajudaremos muito na redução da fila de transplante de córnea no Estado do Rio de Janeiro", disse Lucas Monferrari, médico oftamologista da Pós-Graduação da Uerj.

De acordo com o Hupe, nesse tipo de procedimento, é possível trocar a córnea inteira, mudar só a parte mais interna, que é o Transplante Endotelial ou alterar a parte mais anterior o estroma, chamado de Transplante Lamelar Anterior. Durante o exame, é possível, dependendo da porção da córnea em que a doença esteja situada, ser avaliada a realização de um transplante seletivo, que mantém uma boa parte da córnea e diminui as chances de falência e rejeição por manter o tecido do próprio paciente.

"Estou muito feliz em saber que o serviço foi novamente regularizado. O Pedro Ernesto tem plenas condições de atender os pacientes, pois conta com uma equipe médica extremamente qualificada e excelente infraestrutura para atender aqueles que necessitam" afirmou o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Dr. Serginho.

O Setor de Oftalmologia do Hupe já realizou três cirurgias, desde o início do ano. Os pacientes que necessitarem realizar o procedimento de transplante de córnea deverão procurar uma Clínica da Família, Centro Municipal de Saúde (CMS) ou Posto de Saúde, próximo à sua residência e após avaliação médica ser incluído no SISREG (Sistema de Regulação) e aguardar ser chamado.

Doação do órgão

Segundo o setor de Oftalmologia do Hupe, qualquer pessoa que venha a óbito e que manifestou aos familiares sua vontade de doar seus órgãos pode ser um doador, desde que preencha os critérios determinados pela Central Estadual de Transplantes (CET).

A retirada das córneas pode ser feita até seis horas após a parada do coração (o prazo varia se o corpo estiver refrigerado).