Tijucanos celebram 72 anos de ação

Em 15 de dezembro de 1949, na Confeitaria Tijuca, 27 empresários se reuniam para fundar a 202ª Rotary Club em todo o mundo.

Naquele encontro histórico esses líderes de negócios iniciavam uma jornadas em que seriam sucedidos por gerações de outros indivíduos, unidos pelos mesmos propósitos: contribuir para um ambiente propício à paz e à compreensão entre as pessoas.

Alguns deles tiveram destacadas atividades no mundo dos negócios. A Tijuca, naqueles tempos, era um bairro com indústrias têxteis, de cosméticos, de bebidas, e até mesmo a maior fábrica de cigarros do Brasil.

Assim, passaram pelas fileiras do Rotary da Tijuca os empresários da Phymatosan (quem lembra do slogan, Phymatosan, melhor não tem, é o amigo que lhe convém ...), Sabonete Eucalol (ainda hoje são inúmeros os colecionadores das estampas que acompanhavam os sabonetes), Leite de Colônia, Souza Cruz.

Também contribuíram intelectuais que presidiram o Real Gabinete Português de Leitura, médicos notáveis (aqui nasceu o ProntoCor por iniciativa de um rotariano) e muito mais.]

Essas figuras notáveis foram incansáveis em fazer o bem. Por exemplo, foi por ação dos Rotarianos de Tijuca que nasceu a Fundação Rotária de Educação para o Trabalho, com as salas oficinas das Bombas Dancor. Nossos associados dirigiram o Centro de Integração Empresa-Escola, tradicional na colocação de estagiários no mercado de trabalho; a Associação Patrulha Jovem do Rio, formadora de jovens para o primeiro emprego; o Centro de Estudos Rotários – José Moutinho Duarte, dedicado ao debate de temas da instituição; e muitas outras entidades.

Os atuais rotarianos são herdeiros desse patrimônio de valor inestimável para a sociedade local, regional e mundial. Sim, porque atuamos em missões internacionais, como em Angola, sem falar nas relações com outros países, favorecendo entidades como a Casa Ronald McDonald Rio, hoje associada corporativa do Clube.

Ao longo dos tempos, um músico presenteou a sociedade com uma marchinha inspiração para o Rotary da Tijuca. Nela, é dito: Nenhum de nós (os rotarianos da Tijuca) se julga o melhor; tão pouco diz que o Clube (o Rotary da Tijuca) é o maior, mas o nosso querido Tijuca, podem crer (todos) é BOM PRA VALER!.

É é isso mesmo. Os rotarianos de ontem, de hoje e de sempre, da Tijuca, fazem prevalecer esse lema. O Rotary da Tijuca é (sem dúvida alguma, e sem qualquer pretensão) BOM PRA VALER!

Joper Padrão

Vice-Presidente do Rotary da Tijuca