Mais se beneficia quem melhor serve

Mais se beneficia quem melhor serve.

Na Natureza, todo serve. Por isso, Gabriela Mistral afirmou: Toda a Natureza é um desejo de serviço.

Serve a árvore, com sua sombra generosa e frutos que alimentam. Serve a água, que mitiga a sede e possibilita a higiene. Serve o vento, serve o sol, serve a chuva. Tudo serve a vários fins.

Entre nós, humanos, todos somos servidores. Uns aos outros, mesmo sem percebemos, somos uma fabulosa cadeia de servidores. Serve o gari; serve o carteiro; serve o policial; serve o profissional da saúde, serve aquele que nos provê de água potável e energia. São, em geral, servidores remunerados pelo serviço que prestam

Mas e nós, os cidadãos em nosso cotidiano? A quem servimos? Eu afirmo: o cidadão serve a sua coletividade. E deve servir de forma voluntária, sem que haja retorno financeiro. Servir por solidariedade, servir ao bem comum.

Esse serviço voluntário ao próximo, quer por meio de organizações, quer na atividade individual, é que faz a diferença nos grupos sociais.

Em determinadas culturas, o hábito de servir é fomentado desde tenra idade. Ainda em criança, nas famílias e nas escolas, crianças são estimuladas a servir. Sejam escoteiros, sejam religiosos, servem desde cedo e crescem praticando essa atitude até o final de suas vidas.

O ato de servir é tão profundo que se atribui a Mahtma Gandhi a máxima: Quem não vive para servir, não serve para viver. Não consigo validar a autoria e tão pouco posso afirmar que concordo com a segunda sentença. Afinal, acredito que todos nós servimos, mesmo sem perceber e, portanto, todos (sem exceção) servimos para viver.

Rotariano que sou há quase 3 décadas, logo percebi que para nós, mais de 1.400.000 pessoas atuantes em todos os continentes, voluntários não remunerados, adotamos a filosofia e acreditamos que mais se beneficia, quem melhor serve.

Sim. Ao servir à comunidade local e mundial, cada rotariano sabe que ser um construtor da paz e da compreensão através dos projetos humanitários que empreende ou de que participa.

O Rotary da Tijuca, que se aproxima da data em que completará 72 anos de atividades ininterruptas, traz em sua trajetória centenas de servidores do bem, muitos destes já falecidos, mas que deixam para as gerações atuais e futuras o legado de valor inestimável, inspirador para que os atuais líderes prossigam a jornada.

Se o desejo de servir despertar a atenção do leitor, reflita e tome a sua atitude. E sinta o benefício de servir a sua comunidade. E se for do seu desejo, Junte-se a nós! Rotary é um bom lugar para ser feliz.

Joper Padrão

Vice-presidente do Rotary da Tijuca