Quem foi Marechal Thaumaturgo de Azevedo?

Por Claudia Labriola

A coluna "Histórias da Grande Tijuca" desta semana falará sobre a rua Marechal Thaumaturgo de Azevedo, na Tijuca, que recebeu este nome em homenagem ao militar Gregório Thaumaturgo de Azevedo, importante figura que contribuiu para a história e geografia de nosso país, a partir de seu trabalho com a limitação de terras brasileiras.

Thaumaturgo de Azevedo nasceu em 17 de novembro de 1853 na cidade de Barras, Piauí. Sentou praça no exército aos 15 anos de idade voluntariamente e por ser alfabetizado, foi mandado para a Escola Preparatória do Exército no Rio de Janeiro, escola que hoje se compara ao ensino médio. Após sua conclusão, foi admitido na Escola Militar, situada na Praia Vermelha, onde se diplomou como engenheiro militar, bacharel em matemática e ciências físicas em 1878.

Foi nomeado secretário da Comissão de Limites entre Brasil e Venezuela onde ajudou a delimitar as terras entre esses países recebendo condecoração por seu trabalho.

Em 1884, foi transferido para Recife, Pernambuco, para chefiar a construção da estrada de ferro Recife-Olinda. Neste período, concluiu o curso de Direito da Universidade Federal de Pernambuco.

Com a proclamação da República, foi nomeado governador do Piauí, sua terra natal. É o primeiro governador republicano desse estado. Mas depois de iniciativas que traziam reformas financeiras e mesas de orçamento que impediam super faturamento de obras, colecionou opositores políticos e foi demitido após seis meses de governo.

Marechal Deodoro nomeou Thaumaturgo de Azevedo a governador do Amazonas, mas com a renúncia do presidente e posse de Floriano Peixoto, o marechal de ferro, todos os governadores nomeados por Deodoro foram demitidos e Thaumaturgo de Azevedo que tentou se manter no cargo foi preso por conspiração contra o presidente.

Após cinco anos em prisão na Fortaleza de São Joaquim de Rio Branco, Roraima, foi anistiado pelo presidente Prudente de Morais e nomeado chefe da Comissão de Limites com a Bolívia a fim de dar cumprimento ao Tratado Ayacucho, lavrado durante a Guerra do Paraguai. Neste tratado, também conhecido como Tratado da Amizade, o Acre seria incorporado ao território da Bolívia. Mas Thaumaturgo de Azevedo não aceitou a perda de terras tão produtivas por parte do Brasil e apelou para o Ministro das Relações Exteriores. Não recebendo apoio, demite-se do cargo e retorna para o Rio de Janeiro.

Sua luta pelas terras do alto Amazonas recebe apoio de Rui Barbosa, Serzedelo Correia e com a intervenção do Barão do Rio Branco, o exército ocupa a área e em 1903 é assinado o Tratado de Petrópolis. Thaumaturgo de Azevedo é enviado à região como prefeito do Alto Juruá, uma das três regiões acreanas conquistadas a partir deste tratado.

Como prefeito do Alto Juruá, constrói escola, biblioteca e eleva a cidade de Cruzeiro do Sul a capital da região. Também abre um fórum e inaugura a imprensa oficial. Em sua gestão, enfrenta a invasão peruana no território nacional. Após divergências em contrato de compras firmados em seu mandato, é exonerado do cargo e retorna ao Rio, sendo promovido a general.

Em 1908, juntamente com outros militares, intelectuais e médicos da capital federal, cria a Cruz Vermelha Brasileira e é aclamado presidente ficando nesta instituição por dez anos. Foi em sua gestão que a Cruz Vermelha Brasileira recebeu como doação do governo o terreno que hoje se encontra a sede da instituição. Também foi contribuição sua, a criação da Escola de Enfermeiras da Cruz Vermelha Brasileira.

Em 1909, foi convidado pelo presidente Nilo Peçanha para ser o comandante da Força Policial do Distrito Federal, hoje Policia Militar do Rio de Janeiro, após o acontecimento denominado Primavera de Sangue, onde a polícia repreendeu com violência as manifestações universitárias levando à morte dois estudantes.

Em 1918, Thaumaturgo foi promovido à marechal e foi reformado pelo exército. Seu falecimento ocorreu na primeira hora de 23 de agosto de 1921, em sua residência na Rua das Laranjeiras. A causa de sua morte, segundo os jornais da época, foi "arterio-esclerose".

Em 1992, é criado o município de Marechal Thaumaturgo a partir da divisão da cidade de Cruzeiro do Sul. O nome foi escolhido em homenagem a este militar que defendeu as terras acreanas.

A coluna cedeu espaço para Claudia Labriola - Mestranda em Enfermagem da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Unirio